<$BlogRSDUrl$>

sábado, abril 22, 2017

Ir


“Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver”. (Amir Klink)

quinta-feira, março 30, 2017

Envelhecer


Você sabe que a idade chegou, mas é muito difícil admitir. Olhar para a minha cara e falae 'você não aparenta a idade que tem' não significa muito para mim. Envelhecer é complicado. Sinto meu corpo morrendo todos os dias, e coisas que antes eu fazia sem problemas agora parecem muito mais distantes.

A vida muda de ângulo e de perspectiva. O que estava embaixo do meu nariz já não é mais para ser visto; as coisas são muito mais nebulosas e turvas. Tudo parece diferente e inseguro e o mundo ganha outros contornos.

Não sei se um dia vou me arrepender do que fiz; por enquanto estou arrependida do que não fiz. O tempo, muito cruel, tomou meu olhar, minha força e minha alegria. Só não quero que tome a esperança que ainda resta em mim.

quarta-feira, março 22, 2017

Nasci para fazer ioga


Quando eu era mais nova, e alguém me dizia 'você devia fazer ioga', eu respondia: 'Não sou zen. Prefiro boxe.'
Mas o corpo envelhece, e o tempo faz a gente ter uma outra perspectiva da vida. Com a inspiração da minha querida amiga Simone, fui praticar ioga para tentar diminuir o estresse e a ansiedade.
Para minha surpresa, consegui recuperar meu joelho, até então considerado uma causa perdida por vários ortopedistas. Além disso, descobri que sou muito mais ágil e forte fisicamente do que imaginava.
O boxe? Ainda quero fazer. Mas a ioga se tornou parte fundamental da minha vida, a única coisa capaz de me tirar o cansaço de um dia complicado ou de uma noite mal dormida. Nunca é tarde para mudar nossa rotina. Aliás, nunca é tarde para mudar nada nas nossas vidas. É só uma questão de querer, ir lá e fazer.
Simples assim.

quinta-feira, março 16, 2017

Tristeza


Sinto-em morrendo aos poucos, por dentro. Não sei se é TPM ou apenas tristeza. Não sei se perdi a esperança ou finalmente encarei a realidade: nada, nunca, será como eu quero.

Não posso mudar os outros, apenas a mim mesma. Posso tentar tornar o mundo ao meu redor menor, e também posso sofrer menos em relação a tudo que me cerca. Mas não consigo ficar apenas na minha; sempre acabo me envolvendo e sofrendo.

Eu achei que tinha esquecido como era chorar. Na verdade, hoje em dia choro pouco. Mas às vezes é preciso deixar as lágrimas caírem - e esse momento, agora, é muito necessário. Nem sei porque choro. Talvez seja uma mistura de tristeza e mágoa. Talvez seja um mau pressentimento que me nego a admitir. Talvez seja apenas um cansaço imenso da vida.

Tristeza não tem fim, felicidade sim. A música nunca esteve tão certa. E felicidade, de fato, eu já não lembro mais como é.

segunda-feira, março 13, 2017

Mudanças


“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente; é o que melhor se adapta às mudanças.” (Charles Darwin)

quarta-feira, março 08, 2017

Sobre hoje e sobre as mulheres


No Dia Internacional da Mulher, vale a pena lembrar dados recentes sobre a situação da mulher brasileira.
-Dos 4.762 homicídios de mulheres registrados em 2013, 50,3% foram cometidos por familiares, sendo a maioria desses crimes (33,2%) cometidos por parceiros ou ex-parceiros.
- Em 2013 foram registrados 50.320 estupros no Brasil.
- O Mapa da Violência 2015 mostra que o número de mortes violentas de mulheres negras aumentou 54% em dez anos.
- Duas em cada três pessoas atendidas no SUS em razão de violência doméstica ou sexual são mulheres.
- Seis em cada 10 brasileiros conhecem alguma mulher que foi vítima de violência doméstica.
- Cinco mulheres são espancadas a cada dois minutos no país.
- Uma em cada cinco mulheres considera já ter sofrido alguma vez “algum tipo de violência por parte de algum homem, conhecido ou desconhecido”.
- O parceiro (marido ou namorado) é o responsável por mais de 80% dos casos reportados.
O dia que as pessoas entenderem que este não é um dia de comemoração, mas um dia de luta, talvez, quem sabe, a gente realmente melhore a situação alarmante das mulheres brasileiras. #Nãoqueroflores

segunda-feira, março 06, 2017

Mulheres


Enquanto existir uma mulher no mundo que é agredida por seu marido/companheiro; enquanto existir uma mulher no mundo que faz o mesmo trabalho que um homem e ganha menos que ele; enquanto existir uma mulher no mundo que tem seu talento questionado apenas porque é mulher; enquanto existir uma única mulher nesse mundo que não seja devidamente respeitada como ser humano, o Dia Internacional da Mulher não será uma data para se comemorar. Então hoje é bom lembrar que nós, mulheres, continuamos lutando por igualdade e respeito.

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Observando


Muitas vezes a gente acha que a pessoa é amigo. Mas, na real, apenas você é amigo. Apenas você se importa. Apenas você procura. Eu fico só observando. Comportamento, jeito, palavras, atitudes. Observo e procuro não julgar, mas sou humana e, sim, me ofendo também.

Não adianta vir como se nada tivesse acontecido. Ou vir sorrateiramente como se nada tivesse mudado. Eu tenho cansaço de gente assim, que só aparece quando lhe convém, ou que finge que está tudo bem. Não aguento hipocrisia.

De hipócritas o mundo está cheio. O meu mundo, no entanto, eu quero eles bem longe de mim.

terça-feira, fevereiro 07, 2017

Mudar


“A única constante é a mudança”. ( Heráclito de Éfeso)

sexta-feira, janeiro 27, 2017

Quando o Sol Bater na Janela do teu Quarto

(Legião Urbana)

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto
Lembra e vê
Que o caminho é um só.

Por que esperar se podemos começar tudo de novo
Agora mesmo
A humanidade é desumana
Mas ainda temos chance
O sol nasce pra todos
Só não sabe quem não quer.

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto
Lembra e vê
Que o caminho é um só.

Até bem pouco tempo atrás
Poderíamos mudar o mundo
Quem roubou nossa coragem?
Tudo é dor
E toda dor vem do desejo
De não sentirmos dor.

Quando o sol bater
Na janela do teu quarto
Lembra e vê
Que o caminho é um só.



segunda-feira, janeiro 23, 2017

Sobre comidas


*Cheiro favorito: bolo

*Comida favorita: feijão preto e suas variações, como a feijoada

*Comida que não gosta: coelho

*Doce favorito: pudim de leite da Mamis

*Salgado favorito: pastel de feira, risole de camarão, coxinha do Veloso e bolinho de bacalhau


*Fruto do mar favorito: camarão 

*Carne vermelha favorita: bife de ancho


*Cheiro que te enjoa: ovo cru


*Comida que seria capaz de comer por toda a vida: pizza


*Comida mais sem graça: sopa de legumes


*Uma coisa que você ama e muitos detestam: fígado acebolado (não amo, mas como de boa)


*Tempero favorito: azeite e balsâmico


*Com ou sem pimenta: sem


*Doce ou salgado: doce


*Vegetal favorito: batata (doce, baroa)


*Toddy ou Nescau: Toddy


*Melhor prato que sabe cozinhar: crepe e panqueca


*O que queria aprender a cozinhar: feijão

sexta-feira, janeiro 13, 2017

Assédio e violência


Hoje uma amiga postou no Facebook uma reflexão sobre diferentes tipos de violência que a mulher sofre, não só a física. De fato, a violência moral e psicológica está presente no nosso dia-a-dia, mas a maioria das mulheres prefere fazer vista grossa.

Já presenciei no meu ciclo de amizades mulheres sendo xingadas e ficando caladas. Relacionamentos abusivos ocorrem com mais frequência do que imaginamos, e sim, as mulheres ficam caladas e na maioria das vezes não denunciam.

É importante sim denunciar assédios e violência. Sexual, moral, psicológica, física. Está mais do que na hora das mulheres assumirem seu lugar no mundo - e esse lugar não é nas páginas policiais. Não é na estatística de feminicídio. Já passou da hora de denunciar. Ligue 180.

segunda-feira, janeiro 02, 2017

Abraçar e agradecer

(Maria Bethânia)


Chegar para agradecer e louvar.
Louvar o ventre que me gerou
O orixá que me tomou,
E a mão da doçura de Oxum que consagrou.
Louvar a água de minha terra
O chão que me sustenta, o palco, o massapê,
A beira do abismo,
O punhal do susto de cada dia.
Agradecer as nuvens que logo são chuva,
Sereniza os sentidos
E ensina a vida a reviver.
Agradecer os amigos que fiz
E que mantém a coragem de gostar de mim, apesar de mim...
Agradecer a alegria das crianças,
As borboletas que brincam em meus quintais, reais ou não.
Agradecer a cada folha, a toda raiz, as pedras majestosas
E as pequeninas como eu, em Aruanda.
Agradecer o sol que raia o dia,
A lua que como o menino Deus espraia luz
E vira os meus sonhos de pernas pro ar.
Agradecer as marés altas
E também aquelas que levam para outros costados todos os males.
Agradecer a tudo que canta no ar,
Dentro do mato sobre o mar,
As vozes que soam de cordas tênues e partem cristais.
Agradecer os senhores que acolhem e aplaudem esse milagre.
Agradecer,
Ter o que agradecer.
Louvar e abraçar!




sábado, dezembro 31, 2016

Feliz Ano Novo

"Só os que se arriscam a ir longe demais são capazes de descobrir o quão longe se pode ir."
(T.S.Elliot)

sábado, dezembro 24, 2016

Oração do Tempo


És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo
Compositor de destinos
Tambor de todos os ritmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo
Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo
Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que eu te digo
Tempo tempo tempo tempo
Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo
De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definitivo
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo
O que usaremos pra isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo
E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo
Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo
Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo


segunda-feira, dezembro 19, 2016

Grito de Alerta
Gonzaguinha


Primeiro você me azucrina
Me entorta a cabeça
Me bota na boca
Um gosto amargo de fel...

Depois
Vem chorando desculpas
Assim meio pedindo
Querendo ganhar
Um bocado de mel...

Não vê que então eu me rasgo
Engasgo, engulo
Reflito e estendo a mão
E assim nossa vida
É um rio secando
As pedras cortando
E eu vou perguntando:
Até quando?...

São tantas coisinhas miúdas
Roendo, comendo
Arrasando aos poucos
Com o nosso ideal
São frases perdidas num mundo
De gritos e gestos
Num jogo de culpa
Que faz tanto mal...

Não quero a razão
Pois eu sei
O quanto estou errado
E o quanto já fiz destruir
Só sinto no ar o momento
Em que o copo está cheio
E que já não dá mais
Pra engolir...

Veja bem!
Nosso caso
É uma porta entreaberta
E eu busquei
A palavra mais certa
Vê se entende
O meu grito de alerta
Veja bem!
É o amor agitando o meu coração
Há um lado carente
Dizendo que sim
E essa vida dá gente
Gritando que não...(2x)

quarta-feira, dezembro 14, 2016

Machismo: da cozinha para a TV


Toda vez que a Dayse, do MasterChef Profissionais, era ofendida no programa, eu lembrava de cenas grotescas pelas quais passei em um ambiente predominantemente masculino: as agências de publicidade. Assim como na cozinha, sobreviver em um universo masculino é para poucas. Talvez por isso eu já tenha chegado ao jornalismo com a carcaça preparada para tudo. Dayse me representa. Eu via Marcelo, Dario e Ivo detonando ela e só pensava 'affe, eu sei como é isso'.

Dayse ganhou pela força do Twitter? Talvez. Ela é ótima, mas insegura. Marcelo é criativo, mas exagerou no tom ao xingar a oponente várias vezes.

Vale ressaltar que o programa também mostrou mulheres como a Fádia detonando a Dayse - sim, também existe mulher machista. Curioso que o Marcelo tinha simpatia do público - inclusive a minha - porque era menosprezado pelos demais por conta de sua hiperatividade. Quem foi a única pessoa que nunca falou mal do Marcelo? Pois é.

Teto, parede, barata, sensualiza! Vai que é tua, Dayse!

segunda-feira, dezembro 12, 2016

Oi?

Eu sei quem eu sou. Os outros apenas me imaginam.

quarta-feira, dezembro 07, 2016

20 anos sem Renato Russo



Um dia pretendo tentar descobrir porque é mais forte quem sabe mentir.

--------------------------------------------------------------------------------------------------

Já não me preocupo se eu não sei porque às vezes o que vejo quase ninguém vê.

---------------------------------------------------------------------------------------------------

Mas nada vai conseguir mudar o que ficou. Quando penso em alguém, só penso em você.


--------------------------------------------------------------------------------------------------

Não é a vida como está e sim as coisas como são.


-------------------------------------------------------------------------------------------------


Quando descobri que é sempre só você que me entende do início ao fim.


---------------------------------------------------------------------------------------


O amor tem sempre a porta aberta, e vem chegando a primavera, nosso futuro recomeça. Venha que o que vem é perfeição.




quarta-feira, novembro 30, 2016

O Carma Coletivo


O acidente de avião que matou 71 pessoas na Colômbia, foi mais do que uma tragédia para o esporte e o mundo. A morte prematura do time da Chapecoense, dos tripulantes, comissão técnica, representantes do clube e jornalistas que estavam no voo, representam um carma coletivo que o mundo atravessa faz algum tempo.

Cada vez mais individualista, o ser humano não se importa muito com o outro. Se o outro está bem ou não, se precisa de ajuda ou apoio, se está feliz ou triste, isso hoje em dia é irrelevante. É cada um por si, em busca de sua glória individual, em sua ambição desmedida. Talvez por isso uma tragédia comova tanto: é quando o ser humano percebe que a morte faz parte do roteiro de todos nós e ela vai chegar mais cedo ou mais tarde.

Não saber quando vamos morrer deveria ser um ponto importante de nossas vidas. Deveria nos dar aquela coragem para mudar o rumo, ter boas atitudes, praticar o bem, sermos a cada dia pessoas melhores. Mas não. O mundo consumista e individualista faz com que a morte seja só uma palavra no vocabulário, afinal, o ser humano se acha invencível e não pensa que amanhã tudo pode acabar assim, rapidamente, sem maiores explicações.

Não importa sua religião ou fé, mas eu acredito na Força Maior que comanda tudo. Ele é quem sabe. E Ele coloca nas nossas mãos decisões que podem mudar nossas vidas - cabe a cada um pensar e refletir sobre o que fazer com elas. Morremos todos os dias. Cada dia é um dia a menos. E isso deveria ser fundamental para nos tornarmos mais fortes diante dos infortúnios; corajosos diante dos medos; audaciosos diante das dúvidas; corretos diante das mentiras.

Temos prazo de validade. A morte vai chegar para todos e isso é inevitável. O maior jogo, o  da vida, não está em nossas mãos. Há uma força que comanda tudo, que decide, que sabe o melhor, ainda que, no momento, a gente ache que é o pior. O carma coletivo existe para refletirmos sobre nossa própria existência. O que somos hoje como seres humanos? O que fazemos em nosso dia a dia? Agimos de forma correta somente com quem amamos e ignoramos aqueles que realmente precisam de ajuda? Afinal, hoje eu sou melhor do que ontem?

O mundo grita por ajuda, e em cada lágrima que cai, fica a dor insuportável de que não vamos nunca ter a situação sob controle. Então vamos respeitar o sofrimento alheio; vamos olhar o outro com mais generosidade, vamos ser gratos pelo que temos e cobiçar bem menos o que o outro tem.

A vida é curta demais para desperdiçar com egoísmo. E o carma coletivo continua existindo, desde sempre, transformados em guerras, acidentes e tragédias porque o homem, infelizmente, nunca aprende que ele não pode e não é um só. Somos frutos de um todo, e se o todo não melhorar, não conseguiremos evoluir.

segunda-feira, novembro 28, 2016

Set Fire To The Rain

(Adele)



I let it fall, my heart,
And as it fell, you rose to claim it,
It was dark and I was over,
Until you kissed my lips and you saved me,
My hands, they're strong, but my knees were far too weak,
To stand in your arms without falling to your feet,

But there's a side to you that I never knew, never knew,
All the things you'd say, they were never true, never true,
And the games you'd play, you would always win, always win,

But I set fire to the rain,
Watched it pour as I touched your face,
Well, it burned while I cried,
'Cause I heard it screaming out your name, your name,

When I lay with you I could stay there,
Close my eyes,
Feel you here forever,
You and me together, nothing is better,

'Cause there's a side to you that I never knew, never knew,
All the things you'd say, they were never true, never true,
And the games you'd play, you would always win, always win,

But I set fire to the rain,
Watched it pour as I touched your face,
Well, it burned while I cried,
'Cause I heard it screaming out your name, your name
I set fire to the rain,
And I threw us into the flames,
Well, It felt something died,
'Cause I knew that that was the last time, the last time,

Sometimes I wake up by the door,
That heart you caught, must be waiting for you,
Even now when we're already over,
I can't help myself from looking for ya,

I set fire to the rain,
Watched it pour as I touch your face,
Well, it burned while I cried,
'Cause I heard it screaming out your name, your name
I set fire to the rain,
And I threw us into the flames,
Well, I felt something died,
'Cause I knew that that was the last time, the last time, oh,
Oh, no,
Let it burn, oh,
Let it burn,
Let it burn.

sábado, novembro 26, 2016

Tempo, tempo, tempo


O tempo nos afasta das pessoas - ou a falta dele. Recentemente descobri que uma querida amiga, que eu gostava muito e teve papel importante em uma fase da minha vida, havia falecido. Nós perdemos o contato ao longo dos anos, e eu demorei a saber de sua morte. Fiquei chocada, triste, passei dias mal. Além do sentimento de culpa por sempre pensar nela, mas não procurar, fiquei pasma com a notícia, porque ela era muto jovem e jamais passou pela minha cabeça que seu sumiço estava relacionado a isso.

Com o fato comecei a pensar muito nas pessoas que foram importantes para mim e que o tempo afastou. Eu sempre procuro manter as amizades, mas é aquilo: se a pessoa não dá retorno, eu deixo para lá. E esse 'deixo para lá' tem sido cada vez maior. Fora que é cansativo ficar procurando as pessoas e sempre receber como resposta que elas estão sem tempo.

Uma coisa que me incomoda é quando falavam que eu viajava muito e nunca parava em São Paulo. Acontece que, quando estou na cidade, ninguém está disponível. Todo mundo é ocupado demais para o outro. Todo mundo tem seus problemas e acaba deixando o amigo como última opção. Aí as pessoas mudam de cidade ou de país, casam, têm filhos, e quando a gente vai perceber, o tempo passou e alguém tão importante não faz mais parte da nossa vida.

O curioso é que o tempo também proporciona grandes reencontros. Pessoas que, do nada, voltam para sua vida como se nunca tivessem ido embora. E isso não tem preço. E isso é muito bom. E isso deveria acontecer sempre, ou pelo menos com mais frequência.

O tempo que afasta, e que às vezes só afastou temporariamente. Com trocadilho.

terça-feira, novembro 22, 2016

Declaro-me vivo!


Luis Ernesto Espinoza



Saboreio cada momento.

Antigamente me preocupava

quando os outros falavam mal de mim.

Então fazia o que os outros queriam,

e a minha consciência me censurava.

Entretanto, apesar do meu esforço

para ser bem educado,

alguém sempre me difamava.

Como agradeço a essas pessoas,

que me ensinaram que a

vida é apenas um cenário!

Desse momento em diante,

atrevo-me a ser como sou.

A árvore anciã me ensinou

que somos todos iguais.

Sou guerreiro:

a minha espada é o amor,

o meu escudo é o humor,

o meu espaço é a coerência,

o meu texto é a liberdade.

Perdoem-me,

se a minha felicidade é insuportável,

mas não escolhi o bom senso comum.

Prefiro a imaginação dos índios,

que tem embutida a inocência.

É possível que tenhamos que ser apenas humanos.

Sem Amor nada tem sentido,

sem Amor estamos perdidos,

sem Amor corremos de novo o risco de estarmos

caminhando de costas para a luz.

Por esta razão é muito importante

que apenas o Amor

inspire as nossas ações.

Anseio que descubras

a mensagem por detrás das palavras;

não sou um sábio,

sou apenas um ser apaixonado pela vida.

A melhor forma de despertar

é deixando de questionar se nossas ações

incomodam aqueles que dormem ao nosso lado.

A chegada não importa,

o caminho e a meta são a mesma coisa.

Não precisamos correr para algum lugar,

apenas dar cada passo com plena consciência.

Quando somos maiores que aquilo que fazemos,

nada pode nos desequilibrar.

Porém, quando permitimos

que as coisas sejam maiores do que nós,

o nosso desequilíbrio está garantido.

É possível que sejamos apenas água fluindo;

o caminho terá que ser feito por nós.

Porém, não permitas que o leito escravize o rio,

ou então, em vez de um caminho, terás um cárcere.

Amo a minha loucura

que me vacina contra a estupidez.

Amo o amor que me imuniza

contra a infelicidade que prolifera,

infectando almas e atrofiando corações.

As pessoas estão tão acostumadas

com a infelicidade,

que a sensação de felicidade

parece-lhes estranha.

As pessoas estão tão reprimidas,

que a ternura espontânea as incomoda,

e o amor lhes inspira desconfiança.

A vida é um cântico à beleza,

uma chamada à transparência.

Peço-lhes perdão, mas

DECLARO-ME VIVO!

terça-feira, novembro 15, 2016

Vincent e eu

Vincent Van Gogh é o meu pintor favorito - junto com Monet - e visitar seu museu foi um desejo que, depois de muitos anos, consegui finalmente realizar. Minha avó pintava (e muito bem), por isso desde pequena eu descobri as cores e formas de alguns pintores famosos - mas foi aquele vaso de girassois o primeiro quadro que me emocionou na vida. 

Eu era criança, e vi nas páginas de uma enciclopédia (ok, os menores de 30 nem sabem o que é isso, mas eu sou vintage, não nasci na era da internet) o quadro Sunflowers; e foi assim que conheci Van Gogh. Sua história sempre me comoveu, e estar em seu museu foi uma experiência única. Por vários motivos, mas um deles foi o fato de que o museu estava lotado, uma ironia imensa para um homem que morreu buscando o reconhecimento. Pior: aquelas milhares de reproduções de seus quadros em camisetas, bolsas e imãs de geladeira me incomodaram (e me lembraram minhas aulas sobre Indústria Cultural na faculdade de jornalismo). 

O museu também está com uma exposição temporária sobre a Insanidade do pintor - há diversas teorias sobre suas doenças, inclusive que ele era bipolar. Eu só acho que Van Gogh enlouqueceu porque queria ser reconhecido e não era, então surtou - e os surtos fazem parte da vida dos artistas, que o diga a maravilhosa (e pouco reconhecida) Camille Claudel. O fato é que a loucura, e a representação clara do quanto a vida é injusta, sempre me fascinaram na história de Van Gogh - além de suas cores e flores, óbvio. 

Um giro pelo meu Instagram e minhas fotos refletem o quanto Monet e Van Gogh habitam minha vida, por suas obras e pelos homens que foram. Ao meu redor, a maioria das pessoas estava ali apenas 'porque é um ponto turístico de Amsterdam'. Mas eu estava ali porque Van Gogh e sua obra são uma das coisas mais fascinantes que existem nesse mundo cada vez mais sombrio e desprovido de respeito, reconhecimento e talento. Eu estava ali não para comprar uma bolsa com girassois, mas para lembrar de que a obra (o quadro, o livro, a música) fica, ainda que boa parte do mundo nunca entenda, de fato, o que ela significa. 

sexta-feira, novembro 11, 2016

Epitáfio
Titãs
 


Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr


This page is powered by Blogger. Isn't yours?