<$BlogRSDUrl$>

quarta-feira, maio 10, 2017

Maternidade


Uma vez me disseram que eu seria incompleta caso não fosse mãe. As palavras vieram de uma grande amiga, obcecada pela maternidade. Achei cruel e desnecessário o comentário. Se uma mulher quer ter filhos, não significa que todas as outras devam fazer o mesmo.

Lá se vão 20 anos desse comentário e, sinto dizer, não me sinto incompleta por não ser mãe. Acho que um filho deve ser fruto de uma união saudável em que os dois queiram ser pais. O que mais vejo são mulheres tendo filhos e dizendo 'agora sim sou feliz' ou 'só depois de ser mãe descobri a felicidade plena'. Oi? Naturalmente ser mãe é um momento único para a mulher, mas dizer que a felicidade está relacionada apenas a isso é dar à criança um peso que ela não precisa carregar.

As pessoas reclamam do machismo, dos seres misóginos, mas esquecemos que a maior parte dos homens do mundo foram criados por mulheres - ou pelo menos saíram do ventre delas. Portanto, quem corrobora para tanto machismo é a própria mulher. Afinal, uma pessoa que acredita que só será feliz se for mãe, ou que a felicidade só é plena concebendo um filho, tem algo equivocado em sua vida.

Vejo um certo desespero em mulheres que passam dos 30 e veem o relógio biológico acelerar. Elas querem a qualquer custo encontrar um parceiro, porque sabem que procriar não será para sempre. Curioso é que não conheço nenhum homem com tanta necessidade de ser pai. Os homens sempre agem mais naturalmente ao ciclo da vida, enquanto a mulher carrega ainda esse peso de 'ser mãe é obrigatório'.

Quando eu era criança, ouvia minha mãe e minha avó falarem que mulher que não tem filho é 'figueira do inferno'. Achava a expressão horrível. Nunca pensei em casamento, muito menos em ter filhos; sempre foquei na minha vida profissional e, talvez, um dia, me arrependa disso. Mas esse dia ainda não é hoje.

No entanto, nada disso me impede de ser mãe. Posso ser mãe sim, o dia que eu quiser, adotando uma criança. Esse negócio de que 'filho tem que sair do próprio ventre' é ridículo: mãe (e pai) é aquele que cria, que educa, que dá ao seu filho o amor e exemplo de vida. Ter um filho só para agradar a sociedade ou satisfazer o próprio ego é uma aberração.

Acho péssimo quando as mulheres associam sua própria felicidade ao fato de ser mãe. O filho já vem ao mundo com aquela carga de que precisa fazer o outro feliz. Não, minha gente: a nossa felicidade depende de cada um de nós, e jamais deve ser colocada nas mãos do outro. Você não pode ser feliz apenas porque é mãe, ou conseguiu tal emprego, ou comprou sua casa. Você deve ser feliz por tudo isso, e não apenas por isso!

São essas coisas que me provam que não pertenço a esse mundo; acho que sou evoluída demais para conviver com gente que ainda acha que só será feliz se conseguir isso e aquilo. E, sinceramente, tenho pena dos filhos que nascem com essa carga emocional totalmente equivocada, e vão crescer sob os holofotes da mãe super protetora, que não conseguiu ser feliz sozinha e precisou dele para encontrar aquilo que ela acha que é felicidade. Boa sorte para essas crianças!



Comentários Postar um comentário

This page is powered by Blogger. Isn't yours?